Carta aos servidores públicos do RS

*Deputado Gabriel Souza

20/11/2019

Foto: Galileu Oldenburg

Primeiramente, te convido a ler até o fim antes de comentar o conteúdo. Parece óbvio, mas, nesses tempos, sempre é bom lembrar que debate sem conteúdo é um “não-debate”, uma gritaria histérica improdutiva.

Semana passada o governador Eduardo Leite – eu não votei nele, mas a maioria assim o fez, é bom lembrar – enviou à Assembleia um conjunto de projetos que pretendem reformar as carreiras do serviço público e o sistema previdenciário do Estado.

Desde então, muitas pessoas estão me perguntando como votarei nesses projetos. E, como tudo na atualidade, querem uma resposta rápida, objetiva e que, principalmente, atenda sua reivindicação. Querem, em suma, que eu diga que votarei contra e pronto.

Ocorre que eu não funciono assim. Votar contra ou a favor será um processo de estudo sobre as matérias, onde, em conjunto com os meus sete companheiros de bancada, lerei notas técnicas, pareceres, relatórios, me reunirei com técnicos do Estado, com especialistas da Academia, com minha assessoria e com tantas pessoas quanto forem necessárias (inclusive servidores públicos) para, somente após, definir uma posição final sobre o assunto. Aliás, é possível que o MDB tome uma posição única de bancada, a maior da Assembleia.

Por sinal, todos os projetos que voto, me esforço em estudar e compreender a matéria antes. É claro que, como qualquer ser humano, posso eventualmente errar na minha decisão, mas, podem ter certeza, formo uma opinião antes de decidir. Muitas vezes, inclusive, sou incompreendido por muitos. É do jogo.

Quem me conhece sabe que não voto na base do aplauso, da vaia, do e-mail anônimo ou assinado, das mensagens em série no Whatsapp ou no Facebook, da pressão, da ameaça e, em especial, dos sindicatos-braços-de-partidos-políticos-que-não-representam-ninguém. Quem foi líder do Governo Sartori na Assembleia aprendeu a lidar bem com esse tipo de coisa.

Não habito a “lacrolândia” nem curto demagogias para ganhar likes nas redes sociais. Não adianta, cada um tem um jeito, o meu é esse. E eu sei que os moderados não estão na moda. Mas meus eleitores conhecem a maneira como trabalho.

Já votei contra e já votei a favor de projetos desse governo, como também já apresentei emendas para modificá-los sempre que entendi necessário. Não apoio projetos os quais considero injustos, nem os inconstitucionais ou os que sejam contra o interesse dos 11 milhões de gaúchos. Assim como também sou contra um Estado ineficiente que não consegue nem mesmo pagar seus servidores em dia e prestar os serviços essenciais à população.

Por fim: noto decepção e frustração no rosto de muitos com os projetos do governo Leite. Lembram do Gringo? Ele avisou e, como se vê, estava certo. Não há solução fácil.

Deputado Gabriel Souza

COMPARTILHE: