“É hora de discutir as funções do Estado”, defende Gabriel em evento no Maranhão

Parlamentar foi palestrante do evento Café com Política no município de Timon (MA)

06/09/2019

O deputado estadual Gabriel Souza (MDB) esteve nesta sexta-feira, 6, no 2º Café com Política, realizado em Timon, no Maranhão. O parlamentar, que é membro do conselho curador da Fundação Ulysses Guimarães (FUG), relembrou sua trajetória política, que iniciou aos 15 anos, e depois fez um resgate histórico sobre o papel do Estado na sociedade e o futuro do MDB.

Segundo ele, o Brasil tem empresas públicas das mais diversas áreas que muitos brasileiros sequer ouviram falar. “É hora de discutir as funções do Estado. A população está insatisfeita com o modelo estatal inchado que não está presente em áreas onde deveria estar como saúde, segurança, educação e infraestrutura”, reforçou.

Para o parlamentar o ciclo de uma máquina pública inchada, grande e cheia de estatais está chegando ao fim. “Este modelo faliu. Não há como termos um Estado que não funciona. A população não quer mais isso”, ponderou.

O modelo ideal, de acordo com Gabriel, é o que chama de Estado Necessário. “Um Estado não pode nem ser tão grande, inchado, cheio de penduricalhos e nem muito pequeno, quase inútil a ponto de sentirmos falta dele. Ele precisa ser necessário, com um tamanho adequado para se moldar àquelas políticas que a sociedade precisa naquele momento”, defendeu, ao reforçar que o MDB precisa acompanhar este movimento.

Convenção do MDB

Gabriel, que esteve em Timon pela terceira vez, também destacou a grandiosidade do MDB, presente em todos os estados brasileiros. Para ele, os partidos precisam entender que mudou a forma de interação entre as pessoas e, agora, as informações circulam em tempo real. “O MDB deve acompanhar estas mudanças. Precisamos sair da maneira analógica de fazer política e entrar na digital. Defendo que o MDB tenha uma mudança de rumo para que possa atuar em conjunto com os filiados – nosso maior patrimônio”, enfatizou.

Ao todo, o MDB possui mais de 2 milhões de filiados no Brasil. No entanto, apenas 300 delegados poderão votar na convenção do dia 6 de outubro. “Imagino que na convenção podemos inaugurar um novo momento e colocar o partido no século XXI e fazer com que os filiados participem do debate”, discorreu.

Durante o encontro estiveram presentes o ex-deputado federal, Sétimo Waquim, a ex-prefeita e atual vereadora de Timon, Socorro Waquim, o vice-presidente do partido, Eduardo Santos, além de dezenas de lideranças locais.