Em reunião da Comissão de Educação, Gabriel questiona se Seduc validará as aulas remotas

O parlamentar também encaminhou pedido de informações ao Executivo sobre o assunto

28/04/2020

Deputado apresentou questionamentos em reunião desta terça, 28 de abril | Foto: Divulgação

A Comissão de Educação realizou videoconferência na manhã desta terça-feira, 28 de abril, para avaliação das aulas remotas pelas entidades estudantis e esclarecimentos da secretaria estadual de Educação (Seduc) sobre o tema. Membro titular da Comissão, o deputado Gabriel Souza (MDB) questionou a Seduc e o Conselho Estadual de Educação (CEED) se as aulas remotas serão ou não validadas no calendário escolar, enquanto o ensino presencial está suspenso.

O coordenador do Centro de Gestão e Inovação da Seduc, Silvio Zomer afirmou que as aulas programadas são consideradas dias letivos, mas que haverá, no retorno das aulas, um diagnóstico da situação pedagógica de todos os alunos. Já Márcia de Carvalho,presidente em exercício do CEED, disse que as atividades que forem oferecidas cumprindo os cinco pontos estabelecidos no parecer nº 01/2020 poderão ter o cômputo do calendário eletivo.

Sem uma resposta definitiva, Gabriel informou ainda durante a reunião o envio de um pedido de informações ao Executivo sobre o assunto. “Não está claro se este período em que os alunos estão tendo aulas remotas será ou não computado no calendário escolar. Com a provável prorrogação do Governo do Estado da suspensão das aulas até, pelo menos, o final de maio, como serão recuperados os dias letivos?”, questionou o parlamentar.

Novo projeto

A reunião da Comissão ocorreu um dia após o deputado Gabriel protocolar na Assembleia Legislativa o projeto de lei que estabelece prazo para que o Governo do Estado apresente um planejamento para o ano letivo dos estudantes. “A superação dos professores gaúchos é o que tem levado o conteúdo programático aos alunos, porém o Estado precisa planejar o ano como um todo e adotar novos métodos e instrumentos pedagógicos para a nova educação que irá emergir no pós-pandemia”, reforçou Gabriel.

Sobre o planejamento, o coordenador da Seduc explicou que existem muitas tratativas, inclusive com a TVE e a plataforma Google Educacion para transmissão de aulas, mas que não há definições até o momento. “Estamos planejando dia a dia, pois pelos cenários que se apresentam não há um horizonte para sabermos o que irá acontecer”, justificou Zimer.