Os novos usos do carvão mineral

*Gabriel Souza

18/06/2019

Protagonista no debate sobre a instalação do polo carboquímico no Estado – já que aprovamos a Política Estadual do Carvão Mineral, em 2017, no governo Sartori -, a Assembleia Legislativa, por minha proposição, organizou visita técnica por meio da Comissão de Meio Ambiente em empreendimentos de mineração de carvão em Butiá e em Minas do Leão.

Além dos parlamentares presentes, técnicos da Sema e da Fepam, bem como a imprensa, puderam esclarecer dúvidas sobre essa atividade que atrai, talvez por desconhecimento, tanta polêmica.

É interessante ressaltar que, diferentemente de décadas atrás, hoje a atividade mineradora possui alta tecnologia, que possibilita segurança aos trabalhadores envolvidos e, principalmente, ao ambiente afetado. Se fores visitar a mina desativada em Fazenda Butiá, por exemplo, provavelmente terás dificuldade de identificar onde funcionava a atividade mineradora. Isso porque toda a superfície é reconstituída, a ponto de o local voltar a ser produtivo com, nesse caso, plantações de soja, pastagem, silvicultura e piscicultura.

Também não se produzem barragens nas atuais operações, como nos recentes desastres de Minas Gerais, já que há um correto manejo da água para que, depois de tratada, volte a ser utilizada no meio ambiente. Tanto é verdade que, em Butiá, o manancial utilizado para captação da água consumida pelas pessoas está a poucos metros da atividade mineradora.

Infelizmente há também a radicalização do debate, trazida pelos setores ideológicos que não admitem sequer uma avaliação técnica séria, que, quando realizada pelos órgãos ambientais competentes, pode vir a concluir que é possível garantir a proteção ao meio ambiente e às pessoas e viabilizar um investimento estimado em US$ 4 bilhões neste Estado que tanto necessita de desenvolvimento.

O polo carboquímico é uma importante oportunidade para que o Rio Grande do Sul, um Estado que possui 90% das reservas nacionais desse minério, utilize-o em meios alternativos à queima para energia, como é o caso da sua transformação em gás de síntese e fertilizantes.

* Deputado estadual (MDB) e integrante da Comissão de Saúde e Meio Ambiente

 

COMPARTILHE: