Podcast: Gabriel Souza fala sobre educação superior no Brasil

27/06/2019

Deputado destaca atuação da Frente Parlamentar em defesa do ensino | Foto: Juliane Pimentel

Instalada recentemente, a Frente Parlamentar em Defesa das Universidades Públicas, Privadas e Comunitárias já tem agenda em Brasília. O presidente do fórum, deputado estadual Gabriel Souza, se reunirá na próxima sexta-feira, dia 28, com o diretor de Políticas e Programas de Educação Superior, Roberto Rosa, e também com o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. A transparência na aplicação de recursos para o ensino superior e o debate sobre uma solução para a crise estão na pauta dos encontros.

Em entrevista exclusiva para a Estação 15, o parlamentar fala sobre as motivações para a criação da frente e ao papel de discussão a que ela se propõe. A promessa é de ir fundo ao debate, cobrar eficiência no investimento e reestruturar onde se entender necessário. “Acreditamos que é preciso encontrar uma estratégia moderada para construir soluções para o setor”, observa o deputado.

 Clique aqui para ouvir o podcast

Histórico da crise

Educação. Essa é uma das principais pautas do momento. As ações do Governo Federal na área têm gerado polêmica desde o início da gestão. Opiniões ideológicas a parte, o fato é que o país atravessa uma grave crise econômica. O corte de recursos em setores essenciais não foi uma opção, mas uma necessidade, conforme justifica o Governo Bolsonaro.

O contingenciamento de 30% dos recursos para educação afetou o ensino superior, que atualmente consome 65,3 bilhões do orçamento do Ministério da Educação . O orçamento total do MEC é de 149 bilhões.

O corte na Educação poderá chegar a R$ 1,7 bilhão. Aqui no Rio Grande do Sul, as seis universidades federais somam um orçamento total de R$ 536 milhões. Caso confirmado o corte, o Estado perderá em média R$ 176 milhões.

Uma das consequencias do contingenciamento é a queda drástica dos recursos para o Fies, estimada em 70%, segundo levantamento do “Panorama do Ensino Superior 2019”. Em 2014 o Fies chegou a financiar 21,3% de novas matrículas em todo o país. Em 2017, esse percentual caiu para 5,7%.

Com o compromisso de ser uma voz dos gaúchos, a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul lançou recentemente a “Frente Parlamentar em Defesa das Universidades Públicas, Privadas e Comunitárias”.

Fonte: Diretório Estadual do MDB-RS