Programa de castração une saúde e bem-estar em Curitiba

Desenvolvido pela prefeitura municipal, projeto atende comunidades carentes da capital

09/04/2019

Em pouco mais de uma década, a prefeitura de Curitiba deixou para trás a câmara de gás – que realizava o recolhimento indiscriminado dos animais – e implantou um programa de castrações gratuitas como política pública de controle populacional de cães e gatos. Hoje, a cidade possui a Rede de Monitoramento e Proteção Animal, que atua em várias frentes, e é um exemplo de ação efetiva pela causa.

A coordenadora da Rede, Vivien Morikawa, explica que o programa de castrações já existe há cerca de 10 anos em Curitiba, mas que foi a partir da atual gestão que foram estabelecidas metas e cronograma de ação. “Temos o objetivo de realizar a castração de 15 mil cães e gatos por ano. Em quatro anos serão 60 mil animais atendidos gratuitamente”, conta Vivien.

A médica veterinária Cláudia Terzian, que também atua na Rede de Proteção Animal, complementa que, além das castrações, são realizadas avaliações clínicas, desverminação, vacinação e cadastro. “Nós atendemos a população carente, em favelas e regionais mais afastadas dos bairros. Temos também conversas sobre a posse responsável e localizamos focos onde é necessária uma intervenção maior do programa”, explica Cláudia.

Exemplo a ser seguido

O deputado estadual Gabriel Souza (MDB-RS), que é autor de duas proposições que vão ao encontro das ações desenvolvidas em Curitiba, foi até a capital paranaense para conhecer o programa.

No Legislativo gaúcho, tramitam o projeto de lei que cria a Política Estadual de Controle Populacional de Animais Domésticos (PL 154/2015) e o que regulamenta o uso de castramóveis no Rio Grande do Sul (PL 55/2017). “É exatamente estas duas propostas que já estão acontecendo em Curitiba e que é muito importante que se tornem realidade no Brasil inteiro”, frisa o parlamentar.

Sobre o programa de castração, o deputado reforça ainda que as ações desenvolvidas produzem resultados efetivos para melhorar a qualidade de vida tanto da população humana quanto dos animais. “A saúde pública e o bem-estar animal andam juntos nestas atividades”, finaliza Gabriel.

Confira o projeto na prática, realizado no Bairro Industrial de Curitiba, em março de 2019:

COMPARTILHE: