Seduc responde pedido de informações do deputado Gabriel sobre o ano letivos dos estudantes

Secretaria apresenta proposta de modelo híbrido, caso aulas permaneçam suspensas nos próximos meses

14/05/2020

Foto: Galileu Oldenburg

A secretaria estadual de Educação (Seduc) encaminhou na tarde desta quinta-feira, 14 de maio, uma nota técnica (veja abaixo) em resposta ao pedido de informações feito pelo deputado estadual Gabriel Souza (MDB). A solicitação ocorreu a partir da preocupação do parlamentar com a validação das aulas remotas oferecidas aos estudantes da rede estadual enquanto durar o período de isolamento social. Souza é autor do projeto de lei que estabelece um prazo de 10 dias para que o Estado apresente um planejamento para o ano letivo dos alunos.

No documento, de nove páginas, a secretaria esclarece também outros questionamentos apresentados pessoalmente pelo deputado durante encontro com o secretário Faisal Kairam e a equipe técnica no início do mês. Foi a partir desta reunião, aliás, que Souza sugeriu que a Assembleia Legislativa fizesse a devolução de parte do seu orçamento diretamente para a educação. O anúncio da devolução de R$5,4 milhões do Legislativo para que a Seduc ofereça internet para smartphones cadastrados de até 900 mil alunos e educadores foi feito ontem, na presidência do Legislativo.

Entre os pontos detalhados estão a implementação da metodologia das aulas programadas, os cursos de formação para os professores e uma nova proposta de dinâmica que será aplicada, a partir do mês de junho, caso seja necessária estender a suspensão das aulas, conforme as orientações do Governo do Estado. De acordo com a Seduc, o modelo híbrido consiste em aulas presenciais e não presenciais operando de forma conjunta. A aplicação deste modelo se dará mediante acesso universal, de forma inédita e inovadora, a partir da garantia de acesso dos estudantes à plataforma Google Classroom. (Veja abaixo os detalhes de como será executado este novo modelo)

O deputado Gabriel Souza afirmou que as informações contidas na nota técnica esclarecem dúvidas quanto ao futuro do ano letivo não só dos parlamentares, mas também de toda a comunidade escolar. “Estabelecer o planejamento, prevendo diferentes cenários, nos dá mais segurança para que pais, alunos e professores possam permanecer em suas casas ao mesmo tempo que garante o acesso ao ensino”, disse.

Nota_Tecnica